segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

I hadn't myself a merry little Christmas...




Esse post deveria ter saído há muito tempo e o título dele deveria ser "Have yourself a merry little Christmas", como aquela adorável música de Natal cantada por Judy Garland no musical "Meet me in St. Louis", desejando Feliz Natal para vocês. Mas eu estou irremediavelmente atrasada.

Passei meu desastroso Natal em Roma, viagem da qual ainda contarei muitas histórias nos próximos posts. Sendo bastante sincera, imaginava mesmo que o meu tão supostamente maravilhoso Natal em Roma seria melhor. 

Eu estava sem dinheiro em espécie, meu cartão VTM foi engolido por um caixa no Vaticano dia 24, quando visitei o Museu do Vaticano e a Capela Sistina (também assunto para um próximo post). Ainda dia 24 voltamos para casa para descansar e depois voltar para ver a Missa do Galo. Mas isso não aconteceu, sabe por quê? Estava um frio absurdo e ninguém teve coragem de sair de casa. Bem, o fato de não termos tido coragem não importa, porque os meios de transporte simplesmente pararam de funcionar! Assim como todos os lugares estavam fechados e nem comida a gente tinha! Maravilha! Então, tristemente, nos reunimos todos no corredor dos quartos e apenas conversamos a noite toda! Chora um, chora outro com saudade da família na véspera de Natal. Uma coisa muito triste de se ver, mas algo para se recordar para sempre.





No dia 25 fomos ao Vaticano outra vez receber a benção do Papa. Depois fomos comer, mas eu fiquei sem comer até umas 4 da tarde, porque estava de estômago vazio e não queria almoçar e sim tomar um capuccino com um pão com queijo ou qualquer coisa mais leve e me separei das meninas, que foram almoçar em algum lugar perto enquanto eu ia no Burger King tomar meu café. Mas Burger King, McDonalds e Subway, lugares que eu sabia que aceitavam cartão de crédito (meu outro cartão, Master) para pagar estavam fechados. Então eu fiquei em frente ao Burger King por umas 2 horas esperando as meninas voltarem do almoço. Se eu saísse dali para procurá-las onde elas supostamente estariam, corria o risco delas voltarem pra me encontrar e eu não estar. Claro que, para completar, eu estava sem celular e sem uma moedinha sequer! E beem longe de um caixa eletrônico.

Imagina, eu não estive a ponto de chorar em momento nenhum durante a espera! De jeito nenhum!!! Naquele momento, eu só sabia de uma coisa, cedo ou tarde elas teriam que voltar para onde tínhamos combinado. Eu estaria salva, não importa quanto tempo demorasse. O sentimento de encontrar com as meninas... Acho que posso comparar ao sentimento de achar água no meio do deserto. 

Estávamos nós (eu morrendo de felicidade por estar de novo com minhas companhias) caminhando rumo à estação de trem para voltar pra casa e descansar quando descobrimos que não havia nem trem nem ônibus naquele horário durante o dia 25 de dezembro! Que beleza! Andamos serelepes pimpom pelas ruas até a hora que os ônibus voltariam a circular. Pegamos o ônibus, fomos encontrar com a Petra na estação de trem e finalmente comer alguma coisa. Eu parei no Mc, que eu sinceramente detesto, e resolvi comprar logo 3 Mcs daqueles de 1 euro pra mim, na esperança de que o Mc mais simples, daqueles sem muito molho ou aqueles ingredientes nada saudáveis ou nojentos, fosse melhor que os demais. Mas olha que legal, quando chegamos no hostel, depois de comer e quase na hora de dormir, descobri que tinha perdido meu cartão de crédito depois que saí do Mc. Aquele lá, o único que eu tinha depois do meu VTM ser engolido pelo caixa! YEEEY! Eu sou muito sortuda e muito inteligente também!

Pirei, né? Acordei a pobre da Petra, mãe de todos nós, e ela me ajudou a cancelar meu cartão pela internet pra ninguém usá-lo indevidamente e fiz uma transferência online da minha conta para a conta da Carol, assim eu não ficaria sem dinheiro, pois ela poderia sacar pra mim. Problemas aparentemente resolvidos, fui dormir, pois tinha que partir pra Florença no dia seguinte.

A parte boa do meu dia de Natal? Receber a benção do Papa, que, por sinal, agora renunciou, não é?! Mas sabe o que, no final das contas? Foi um bom natal! Mesmo longe da família e tendo acontecido tudo o que aconteceu, a satisfação em estar ali era grande demais! A felicidade de poder ver tudo o que vi é grande demais para conseguir narrar. E bem, as dificuldades foram feitas para serem superadas. Certo que eu não precisava ter passado por essas coisas (acho que tem alguém de olho gordo em mim! Preciso de um banho de sal grosso), mas isso não conseguiu estragar minha viagem. 


Coisa linda essa avenida estava. Isso foi eu mexendo no foco da lente numa frustrada
tentativa de efeito bokeh! Mas mesmo fracassando no bokeh, gostei do desfocado!


No fim, acho que posso retificar o título do post para "I had myself a merry little Christmas..."

Deixo o vídeo da Judy Garland. 



E a versão de Glee da mesma música.


I reeeally love this song!

Hasta pronto o/

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Liberta, em condicional...

Olá, pessoas queridas que, pelo motivo que seja, visitam este blog. Sei que estou em dívida com vocês, e além daquele motivo já citado no post anterior (provas e estágios) não tenho mais nada realmente válido para justificar minha ausência. Sei que sempre prometo, coisas que blogueiros sempre fazem e a maioria não cumpre (como eu), mas bem... Ah, apenas me desculpem, por favor? 

Minhas provas terminaram na sexta-feira do dia 15 e, se eu fosse uma pessoa um pouco menos relaxada, já teria feito vários posts pendentes aqui! Mas depois de um período exaustivo de estudos, eu precisava de pelo menos dois dias pra não ter compromisso com nada. 






Bem, anuncio que estou liberta da prisão da minha casa, dos meus livros, da universidade e do peso que eu levava nas costas por causa das minhas, digamos, "responsabilidades educacionais/profissionais". Mas em condicional!

Em condicional porque ainda não recebi meus resultados de prova todos e ainda não sei se consegui me sair bem o suficiente nas provas para passar nas matérias. Os indícios são mais fortes para o SIM!, mas ainda tenho algumas preocupações quanto a isso. Caso não passe nas disciplinas, terei que fazer uma prova final.

Saindo do termo "condicional" e passando para o termo "regime semi-aberto", eu explico que agora eu realmente espero reservar uma parte do meu dia (encadeá-lo a ele e a mim, juntos, num romance eterno enquanto durar com os livros) para estudar. Só assim eu poderei passar os meus últimos dias de intercâmbio em Palma, coincidentes com as últimas provas, sem a mesma agonia do semestre letivo que "acabou de acabar". 

Tenho um montão de novidades e um montão de planos sobre posts, além de alguns vídeos pendentes. Neste post em especial, eu queria fazer um pedido para vocês. Eu sempre me refiro a vocês que leem o blog como ''quem mesmo?", não é verdade? E essa expressão mudou de sentido nos dois últimos meses. 

Antes eu a usava porque eu sabia que ninguém ou praticamente ninguém lia o blog, pois eu nunca tinha feito nenhum esforço em divulgá-lo. Por vergonha do nome que eu havia dado a ele e por vergonha de não sei mais o que... Talvez de ser alguém de 20 anos narrando um intercâmbio como um adolescente de 15 encantada com a terra do Tio Sam. É certo que continuarei com vergonha, mas é mais certo ainda que eu não abandonarei o blog, pois é algo que eu sempre quis fazer desde que eu era aquela adolescente de 15 que apenas sonhava em visitar a terra do Tio Sam. Entenda por Tio Sam, qualquer lugar no qual alguém fez, esteja fazendo ou vá fazer um intercâmbio. Usei os Estados Unidos como referencia apenas por ser o destino mais comum. 

Mas agora, mesmo depois de quase dois meses de total abandono do blog, sempre vejo que tem visualizações todos os dias. Poucos e modestos, mas comparados com as quase nenhuma visitas que eu tive no começo, isso me deixa feliz. Algumas pessoas (leitores) tiveram a curiosidade de olhar meu perfil no facebook, me adicionaram e enviaram perguntas. Eu fiquei bastante satisfeita em conhecer quem dedicou um pouco do seu tempo para ler meu blog. E eu sei que o motivo de todo mundo é completamente "egoísta" (no bom sentido, okay?). Informação para si mesmo, curiosidade própria. Apenas como eu mesma fazia com a maioria dos blogs que eu lia. E o "quem mesmo?" ganhou um novo sentido pra mim. 

Seja você quem for que está aí do outro lado da tela, eu gostaria muito de ter sua opinião, sua sugestão ou sua dúvida, sobre o blog, sobre o intercâmbio ou qualquer outra coisa. E além de tudo, queria saber para quem eu estou agradecendo neste minuto a visita aqui no Espanhola Paraguaia.

Então, sem querer pedir muito, queria que vocês deixassem um comentário. Em todos os posts que derem na telha ou em apenas um. Também sei por experiência própria que algumas vezes até temos vontade de comentar, mas ficamos com vergonha. Não precisa! Se não quiserem comentar, também não tem problema nenhum. 

No final das contas, isso não passa de um ato de desespero de alguém muito curioso, EU! Fico super curiosa pra saber quem visitou meu blog! 

E, como eu já escrevi demais, comum em todos os posts. Finalizo esse dizendo que vem mais por aí, em algumas horas. 

Hasta muy pronto o/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...